Simulado De Filosofia: Nietzsche

8 Questions | Total Attempts: 2376

SettingsSettingsSettings
Please wait...
Simulado De Filosofia: Nietzsche

.


Questions and Answers
  • 1. 
    (UFFS - FEPESE – 2010) No pensamento de Nietzsche, pode-se encontrar grande quantidade de considerações a respeito dos valores.Assinale a alternativa que não está de acordo com a filosofia de Nietzsche sobre os valores.
    • A. 

      A perda da fé em Deus conduz à desvalorização de todos os valores.

    • B. 

      É preciso reconhecer que, pelos seus próprios critérios, nossa moral é imoral.

    • C. 

      Deve-se criar novos valores por meio da vontade de potência.

    • D. 

      A moral deve expressar as condições de vida e de desenvolvimento de um povo.

    • E. 

      Não existe papel para a razão na compreensão dos valores.

  • 2. 
    (UFFS - FEPESE – 2010) Para lidar com o tratamento dos valores no pensamento de Nietzsche, o conceito da "morte de Deus" é essencial.Assinale a alternativa que reflete esse conceito.
    • A. 

      A morte de Deus desvaloriza o mundo.

    • B. 

      A morte de Deus gera necessariamente o super-homem.

    • C. 

      A morte de Deus implica a perda das sanções sobrenaturais dos valores.

    • D. 

      A morte de Deus exige o retorno a Apolo e a Dionísio.

    • E. 

      A morte de Deus impossibilita a superação dos valores hoje aceitos.

  • 3. 
    (UNICENTRO 2012) O fragmento de texto, logo abaixo, é de Friedrich Nietzsche (1844-1900). Analise-o, tendo como referência seus conhecimentos sobre o tema, e julgue as assertivas que o seguem, apontando a(s) correta(s). “Todo filosofar moderno está política e policialmente limitado à aparência erudita, por governos, igrejas, academias, costumes, modas, covardias dos homens: ele permanece no suspiro: ‘mas se...’ ou no reconhecimento: ‘era uma vez...’ A filosofia não tem direitos; por isso, o homem moderno, se pelo menos fosse corajoso e consciencioso, teria de repudiá-la e bani-la. Mas a ela poderia restar uma réplica e dizer: ‘Povo miserável! É culpa minha se em vosso meio vagueio como uma cigana pelos campos e tenho de me esconder e disfarçar, como se eu fosse a pecadora e vós, meus juízes? Vede minha irmã, a arte! Ela está como eu: caímos entre bárbaros e não sabemos mais nos salvar.” (NIETZSCHE, F. A Filosofia na épocatrágica dos gregos. – aforismo 3. São Paulo: Abril Cultural, 1978, p. 32 (Col. Os Pensadores). I. Nietzsche critica a filosofia de sua época, afirmando que ela afastou-se da vida, refugiando-se num universo de abstração e deduções lógicas, criando falsos dualismos, como o de corpo e alma,mundo e Deus, mundo aparente e mundo verdadeiro.II. Em Sócrates, Nietzsche encontra o ideal de humanismo que irá definir sua filosofia como “estética de si”. O par conceitual, dionisíaco (Dionísio é o Deus da embriaguez da música e do caos) e apolíneo (Apolo é o Deus da luz, da forma, da harmonia e da ordem), mostra a herança socrática. Da luta e do equilíbrio final desses dois elementos opostos, surge o pensamento nietzschiano como saber da vidae da morte, como expressão do enigma da existência.III. Kant e sua moral são alvos do “filosofar com o martelo” nietzschiano: o “imperativo categórico”, isto é, a lei universal que deve guiar as ações humanas, é para Nietzsche uma ficção que provém do domínio da razão sobre os instintos humanos, sendo a lei de um homem descarnado e cristianizado.IV. A vontade de potência é um conceito-chave na obra de Nietzsche. Indica-nos as relações de força que se desenrolam em todo acontecer, assinalando seu método histórico. Assim, Nietzsche pensa o tempo de acordo com uma concepção própria, um tempo não-linear, que se desenvolve em ciclos que se repetem – é o pensamento do eterno retorno, outro conceito-chave de sua obra.
    • A. 

      Apenas IV.

    • B. 

      Apenas II e III.

    • C. 

      Apenas II, III e IV.

    • D. 

      Apenas I, II e IV.

    • E. 

      Apenas I, III e IV.

  • 4. 
    . (UEM 2010 adaptado) A Filosofia de Friedrich Nietzsche (1844-1900) é marcada por uma nova relação entre o racional e o irracional, na medida em que o irracional adquire validade por corresponder à necessidade de um movimento de afirmação da vida.Com base nessa afirmação, assinale o que for correto.
    • A. 

      Para Nietzsche, o Iluminismo não libertou os homens de seus prejuízos, mas reforçou ainda mais seus mitos, como a crença na razão e no conhecimento científico.

    • B. 

      O recurso metodológico proposto por Nietzsche é a teologia, isto é, movimento teórico que recorre à existência de Deus para denunciar a racionalidade.

    • C. 

      Para Nietzsche, o conhecimento é fruto de um lento processo de acumulação e comprovação empírica,cuja finalidade é salvar os fenômenos.

    • D. 

      Contra a moral dos aristocratas e nobres, Nietzsche defende os fracos, isto é, a moral dos escravos.

    • E. 

      A “vontade de potência” é a afirmação do nacional-socialismo alemão, expresso na doutrina do superhomem e no antissemitismo nietzscheano.

  • 5. 
    1 (UEM 2008) Friedrich Nietzsche critica o pensamento socráticoplatônico e a tradição da religião judaico-cristã por terem desenvolvido uma razão e uma moral que subjugaram as forças instintivas e vitais do ser humano, a ponto de domesticar a vontade de potência do homem e de transformá-lo em um ser fraco e doentioConsiderando:I - Ao criticar a moral tradicional racionalista, considerada hipócrita e decadente, Nietzsche propõe uma moral não-repressiva, que permite o livre curso dos instintos, de modo que o homem forte possa, ao mesmo tempo, acompanhar e superar o movimento contraditório e antagônico da vida.II - Para Nietzsche, o super-homem deveria ter a missão de criar uma raça capaz de dominar a humanidade, sendo, por isso, necessário aniquilar os mais fracos.III - Nietzsche concorda com o marxismo, quando esse afirma que a história da humanidade é a história das lutas de classes, e considera que o socialismo é a única forma de organização social aceitável.IV - Nietzsche identifica dois grandes tipos de moral, isto é, a moral aristocrática de senhores e a moral plebeia de escravos. A moral de escravos é caracterizada pelo ressentimento, pela inveja e pelo sentimento de vingança; é uma moral que nega os valores vitais e nutre a impotência.V -  Os valores que constituem a moral aristocrática de senhores são, para Nietzsche, eternos e invioláveis. Devem orientar a humanidade com uma força dogmática, de modo que o homem não se perca.Assinale o que for correto.
    • A. 

      Apenas as assertivas I, II e IV estão corretas.

    • B. 

      Apenas as assertivas I e IV estão corretas.

    • C. 

      Apenas a assertiva I está correta.

    • D. 

      Todas as assertivas estão corretas.

    • E. 

      Apenas a assertiva II está correta.

  • 6. 
    Dadas as afirmações sobre o filósofo Nietzsche, assinale a alternativa INCORRETA.
    • A. 

      Nietzsche produziu uma profunda crítica ao cristianismo, sobretudo na obra O anticristo, em que afirma que o único cristão morreu na cruz.

    • B. 

      Nietzsche foi discípulo de Foucault, tomando para si, sem atribuir os devidos créditos, o método genealógico. Pode ser considerado um foucaultiano legítimo e teve como sua leitura predileta a obra Vigiar e punir, de Foucault.

    • C. 

      Ao longo de sua obra, Nietzsche tece duras críticas à modernidade e ao cristianismo, entendendo o último como platonismo do povo e, sobretudo, atacando os sacerdotes enquanto inversores dos valores nobres.

    • D. 

      Estudos aprofundados demonstram que na obra Vontade de Poder, atribuída a Nietzsche por diversos anos, constava uma série de afirmações introduzidas por intervenção de sua irmã, objetivando agradar ao partido nazista.

    • E. 

      Na obra Para a Genealogia da Moral, dividida em três dissertações, encontra-se, como temática central, o questionamento sobre a origem dos valores morais – uma crítica ao utilitarismo inglês, além de outras, como ressentimento e ideais ascéticos.

  • 7. 
     Sobre o que diz Nietzsche a respeito da moral tradicional, assinale a alternativa incorreta:
    • A. 

      A moral tradicional não é valida e tampouco deve ser seguida, pois aquilo que ela considera justo e bom é sempre relativo a um grupo que possui interesses. Nesse caso, não é possível compreendê-la como algo universal e que possa ser considerada por toda a humanidade.

    • B. 

      Não existem valores imutáveis e universais. A moral estabelecida é fruto de uma construção histórica que procurou beneficiar um grupo de interessados, não existindo noções absolutas de bem e de mal.

    • C. 

      As noções de bem e mal estabelecidas pela moral tradicional são produtos histórico-culturais, elaboradas pelo homem a partir de interesses humanos, mas que, as religiões impõem como se fossem produtos da “vontade de Deus”.

    • D. 

      Seguir a moral tradicional é importante ao desenvolvimento humano, pois, segundo Nietzsche é por meio dela que o ser humano resgata as suas forças vitais, a sua dimensão dionisíaca e constrói o que ele chama de “moral de senhores”.

  • 8. 
    Segundo Nietzsche, A moral de rebanho é:I. A moral cristã.II. A moral geradora de resentimentos e culpas.III. A moral fundada na aceitação do sofrimento, da renúncia, do altruísmo, da piedade, típicos da moral dos fracos.IV. A moral que resgata a dimensão dionisíaca e favorece o desenvolvimento autêntico do ser humano.V. A moral que favorece o desenvolvimento do ser humano, respeitando as dimensões dionisíaca e apolínea, reconhecendo como válidos os seus desejos e vontades e não os entendendo como pecado ou algo que deva ser condenado.Estão corretas as afirmativas:
    • A. 

      I, II, IV e V.

    • B. 

      I, II, III e IV.

    • C. 

      I, II e III.

    • D. 

      I, II e V.

    • E. 

      II e V

Back to Top Back to top