1º Simulado De Filosofia 3º Ano

5 Questes | Total Attempts: 984

SettingsSettingsSettings
Please wait...
1º Simulado De Filosofia 3º Ano

Preencha seus dados e clique no botão Iniciar Quiz para começar.Bom simulado!


Questions and Answers
  • 1. 
    (UEM 2011)“[...] A mídia é igualzinha À língua da vizinha (BIS)A mídia, a média, a moda A mídia mudaA mídia manda Manda transar adoidadoE ter só o cuidadoDe usar camisinha [...]” (Disponível em http://letras.com.br/os.novos.baianos/549643. Acesso em: 02/09/2011, às 9h30) Considerando o trecho da música Mídia (Os Novos Baianos) e as discussões sobre corpo, assinale o que for correto. 
    • A. 

      01) O corpo foi compreendido historicamente de forma fragmentada, ou seja, foi visto como composto de matéria e oposto à razão, cujo adestramento constituía um meio para a formação do espírito e da moral.

    • B. 

      02) A valorização do ser humano pelo viés do corpo malhado, treinado exaustivamente em academias de ginástica – “templos” de padronização dos corpos – ou clínicas de estética e cirurgia plástica, independe das investidas midiáticas, uma vez que essa necessidade de valorizar o ser humano já se encontra presente na individualidade humana.

    • C. 

      04) Os discursos de enaltecimento ao corpo e ênfase à sua liberdade se adequam a interesses do capital, trazendo implícito um modelo de estética e lógica de mercado.

    • D. 

      08) Por mais que existam produtos que objetivem o lucro, há outros que realmente se preocupam com a melhoria das condições humanas e de sua qualidade de vida, difundidos de modo adequado pela mídia, a exemplo de livros que orientam dietas, procedimentos seguros para a realização de cirurgias plásticas e uso apropriado de esteroides e anabolizantes, visando à forma física ideal.

    • E. 

      16) A mídia tem êxito ao estabelecer determinado modelo porque encontra um território fértil para desenvolver sua mensagem, marcado pela corpolatria (culto ao corpo), que se impõe por encontrar pessoas capazes de sacrifícios (mesmo colocando a vida em risco), no intuito de atingir o corpo ideal e a perfeição.

  • 2. 
    UEM Verão 2009O Renascimento é considerado um marco da Idade Moderna. Uma das características desse período é o processo de secularização do universo, da sociedade, da cultura: muitos princípios e práticas que tinham uma fundamentação teológica e religiosa adquirem um caráter laico. É possível constatar isso, inclusive, na nova concepção que o corpo adquire durante o Renascimento. Sobre o Renascimento e a Idade Moderna, assinale o que for correto.
    • A. 

      01) Os estudos de anatomia, praticados pelo médico belga Vesalius (1514 – 1564) e por Leonardo da Vinci (1452 – 1519), não só alteram várias concepções inadequadas da anatomia tradicional, baseadas nas obras de Galeno (séc. II), como também alteram a representação religiosa do corpo humano e lhe dão uma conotação física, naturalista e biológica.

    • B. 

      02) Por considerar o corpo humano apenas matéria, a Igreja da Idade Média não se importava com a exumação de cadáveres para a prática de experiências científicas.

    • C. 

      04) A Idade Moderna desenvolve uma concepção mecanicista do corpo que pode, inclusive, ser encontrada na obra de René Descartes.

    • D. 

      08) A secularização da concepção do corpo apresenta-se durante o Renascimento na expressão artística, como, por exemplo, na arte pictórica de Rembrandt, que reproduz a experiência de Vesalius no seu quadro A lição de anatomia.

    • E. 

      16) A exumação dos cadáveres, sua dissecação e as experiências neles exercidas eram, no início da Idade Moderna, rigorosamente submetidas aos princípios da bioética e fiscalizadas por um conselho composto por membros da Igreja e magistrados.

  • 3. 
    PUC PR 2011 Um dos conceitos centrais da obra do filósofo francês Michel Foucault é o de sociedade disciplinar. Sobre esse conceito, analise as assertivas abaixo:I. Trata-se de um modelo de sociedade no qual o exercício do poder disciplinar saiu do âmbito corretivo e punitivo das penitenciárias e alcançou a sociedade nas suas várias instituições.II. Trata-se de um modelo de controle dos indivíduos através de ameaças e amedrontamentos constantes e diretos, geralmente pela via da agressão e da violência. III. Trata-se de um conjunto de procedimentos que marcam as relações sociais pela via do exercício de um poder baseado em modelos fechados de um poder central, que usa o suplício do corpo como forma de repressão dos delitos. IV. Trata-se de um exercício de poder marcado pela tentativa de abrandamento das penas de suplício e da criação de um mecanismo mais eficaz contra os delitos, baseado, por exemplo, na vigilância.Está(ão) CORRETA(S): 
    • A. 

      A) Apenas as assertivas I e IV.

    • B. 

      B) Apenas as assertivas II e III.

    • C. 

      C) Apenas as assertivas I, II e III.

    • D. 

      D) Todas as assertivas.

    • E. 

      E) Apenas a assertiva I.

  • 4. 
    PUC PR 2011. Para Foucault, as sociedades democráticas criaram uma nova forma de exercício de poder. Entretanto, segundo ele: “A ‘invenção’ dessa nova anatomia política não deve ser entendida como uma descoberta súbita. Mas como uma multiplicidade de processos muitas vezes mínimos, de origens diferentes, de localizações esparsas, que se recordam, se repetem, ou se imitam, apoiam-se uns sobre os outros, distinguem-se segundo seu campo de aplicação, entram em convergência e esboçam aos poucos a fachada de um método geral. Encontramo-los em funcionamento nos colégios, muito cedo; mais tarde nas escolas primárias; investiram lentamente o espaço hospitalar; e em algumas dezenas de anos reestruturam a organização militar. Circularam às vezes muito rápido de um ponto a outro (entre o exército e as escolas técnicas ou os colégios e liceus), às vezes lentamente e de maneira mais discreta (militarização insidiosa das grandes oficinas). A cada vez, ou quase, impuseram-se para responder a exigências de conjuntura: aqui uma inovação industrial, lá a recrudescência de certas doenças epidêmicas, acolá a invenção do fuzil ou as vitórias da Prússia”. (Vigiar e Punir, p. 118). Segundo o autor, pode-se afirmar que: I. A partir do século XVII se desenvolve nas sociedades chamadas democráticas uma nova forma de exercício de poder, no que tange aos modos de punição e disciplina, que se distingue daquela usada nos regimes absolutistas europeus. II. A partir dos séculos XVII se verifica o crescimento de um modelo de exercício da disciplina que usa como parâmetro os mesmos moldes dos regimes absolutistas, ou seja, a punição direta sobre os corpos como forma de restituição do poder central.III. A partir do século XVII o poder passa a ser usado como forma de repressão sobre o corpo dos indivíduos a partir de um poder central, aos moldes dos modelos absolutistas.IV. O modelo do panóptico serve de exemplo de um novo mecanismo de poder no qual se privilegia o controle do tempo, a organização do espaço e o registro continuado da conduta dos indivíduos.Está(ão) CORRETA(S): 
    • A. 

      A) Apenas as assertivas II e III.

    • B. 

      B) Apenas as assertivas I e IV.

    • C. 

      C) Apenas as assertivas I, II e III.

    • D. 

      D) Todas as assertivas.

    • E. 

      E) Apenas a assertiva I.

  • 5. 
    (Instituto Federal de Educação do Piaui – 2012 )"A educação para a mulher, para ser guardiã, não será uma para preparar os homens, e outra para as mulheres, sobretudo porque toma a seu cargo uma natureza idêntica."O fragmento acima foi extraído de uma obra filosófica onde se percebe a reflexão sobre o lugar e o papel da mulher na sociedade e sobre a educação que lhe é conveniente, deixando transparecer suposta defesa do igualitarismo entre homens e mulheres ao apontar uma mesma educação para ambos os sexos. Trata-se de fragmento da obra: 
    • A. 

      A) Contribuição para a explicação do Imperialismo, de Rosa de Luxemburgo.

    • B. 

      B) Segundo sexo, de Simone de Beauvoir.

    • C. 

      C) A República, de Platão.

    • D. 

      D) A condição humana, de Hannah Arendt.

    • E. 

      E) Microfísica do poder, de Michael Foucalt.

Back to Top Back to top