Redes 5º - Prova 2º Bimestre

10 Questions | Total Attempts: 47

SettingsSettingsSettings
Please wait...
Redes 5 - Prova 2 Bimestre


Questions and Answers
  • 1. 
    Para o CobiT, os pilares fundamentais que sustentam o núcleo da Governança de TI podem ser representados por cinco áreas, cada qual com seu respectivo foco. Desta forma, qual foco melhor define a área Gerenciamento de Recursos?
    • A. 

      Garantia da ligação entre os planos do negócio e de TI, manutenção e validação da proposição de valor da TI, e alinhamento das operações da empresa com as de TI.

    • B. 

      Execução da proposição de valor através do tempo, assegurando que a TI entregue os benefícios prometidos de acordo com a estratégia, concentrando-se em otimizar custos e em comprovar o valor intrínseco da TI.

    • C. 

      Otimização dos investimentos e da gestão adequada dos recursos críticos de TI (aplicações, informações, infraestrutura e pessoas), essenciais para fornecer os subsídios de que a empresa necessita para cumprir os seus objetivos.

    • D. 

      Conhecimento dos riscos por parte da alta direção, entendimento claro dos requisitos de compliance e das tendências da empresa para os riscos, transparência acerca dos riscos significativos para a empresa e incorporação de responsabilidades para o gerenciamento dos riscos na organização.

    • E. 

      Acompanhamento e monitoração da implementação da estratégia, do andamento dos projetos, da utilização de recursos, do desempenho dos processos e da entrega dos serviços, utilizando, além das medições convencionais, indicadores de desempenho (como, por exemplo, balanced scorecards) que traduzem a estratégia em ações para atingir objetivos mensuráveis.

  • 2. 
    Para o CobiT, os pilares fundamentais que sustentam o núcleo da Governança de TI podem ser representados por cinco áreas, cada qual com seu respectivo foco. Desta forma, qual foco melhor define a área Medição de Desempenho?
    • A. 

      Garantia da ligação entre os planos do negócio e de TI, manutenção e validação da proposição de valor da TI, e alinhamento das operações da empresa com as de TI.

    • B. 

      Execução da proposição de valor através do tempo, assegurando que a TI entregue os benefícios prometidos de acordo com a estratégia, concentrando-se em otimizar custos e em comprovar o valor intrínseco da TI.

    • C. 

      Otimização dos investimentos e da gestão adequada dos recursos críticos de TI (aplicações, informações, infraestrutura e pessoas), essenciais para fornecer os subsídios de que a empresa necessita para cumprir os seus objetivos.

    • D. 

      Conhecimento dos riscos por parte da alta direção, entendimento claro dos requisitos de compliance e das tendências da empresa para os riscos, transparência acerca dos riscos significativos para a empresa e incorporação de responsabilidades para o gerenciamento dos riscos na organização.

    • E. 

      Acompanhamento e monitoração da implementação da estratégia, do andamento dos projetos, da utilização de recursos, do desempenho dos processos e da entrega dos serviços, utilizando, além das medições convencionais, indicadores de desempenho (como, por exemplo, balanced scorecards) que traduzem a estratégia em ações para atingir objetivos mensuráveis.

  • 3. 
    O CobiT identificou 34 processos de TI e os distribuiu entre quatro domínios, que espelham os agrupamentos usuais existentes em uma organização padrão de TI (Planejamento e Organização, Aquisição e Implementação, Entrega e Suporte, Monitoração e Avaliação). Sendo os processos de Aquisição e Implementação (AI) com função de:  
    • A. 

      Possuir abrangência estratégica e tática e identifica as formas através das quais a TI pode contribuir melhor para o atendimento dos objetivos de negócio, envolvendo planejamento, comunicação e gerenciamento em diversas perspectivas.

    • B. 

      Cobrir identificação, desenvolvimento e/ou aquisição de soluções de TI para executar a estratégia de TI estabelecida, assim como a sua implementação e integração junto aos processos de negócio. Mudanças e manutenções em sistemas existentes também estão cobertas por este domínio, para garantir a continuidade dos respectivos ciclos de vida.

    • C. 

      Cobrir a entrega propriamente dita dos serviços requeridos, incluindo gerenciamento de segurança e continuidade, suporte aos serviços para os usuários, gestão dos dados e da infraestrutura operacional.

    • D. 

      Assegurar a qualidade dos processos de TI, assim como a sua governança e conformidade com os objetivos de controle, através de mecanismos regulares de acompanhamento, monitoração de controles internos e de avaliações internas e externas.

  • 4. 
    O Cobit usa dois tipos de indicadores. O indicador que define as medições que informam à gerência se um processo de TI atingiu os objetivos de negócio é chamado de:
    • A. 

      Medições de Resultados

    • B. 

      Indicadores de Desempenho

  • 5. 
    O Cobit usa dois tipos de indicadores. O indicador que define as medições que informam à gerência o quanto os processos de TI estão sendo bem executados no sentido de viabilizar o atendimento dos objetivos de negócio é chamado de:
    • A. 

      Medições de Resultados

    • B. 

      Indicadores de Desempenho

  • 6. 
    O Núcleo da ITIL é composto por cinco publicações, cada uma delas relacionada a um estágio do ciclo de vida do serviço, contendo orientações para uma abordagem integrada de gerenciamento de serviços. Sendo assim, selecione a abordagem que define a publicação Desenho do Serviço.
    • A. 

      Orienta sobre como as políticas e processos de gerenciamento de serviço podem ser desenhadas, desenvolvidas e implementada como ativos estratégicos ao longo do ciclo de vida de serviço. Entre os tópicos abordados nesta publicação, estão os ativos de serviço, o catálogo de serviços, gerenciamento financeiro, gerenciamento do portfólio de serviços, desenvolvimento organizacional, riscos estratégicos etc.

    • B. 

      Fornece orientação para o desenho e desenvolvimento dos serviços e dos processos de gerenciamento de serviços, detalhando aspectos do gerenciamento do catálogo de serviços, do nível de serviço, da capacidade, da disponibilidade, da continuidade, da segurança da informação e dos fornecedores, além de mudanças e melhorias necessárias para manter ou agregar valor aos clientes ao longo do ciclo de vida de serviço.

    • C. 

      Orienta sobre como efetivar a transição de serviços novos e modificados para operações implementadas, detalhando os processos de planejamento e suporte à transição, gerenciamento de mudanças, gerenciamento da configuração e dos ativos de serviço, gerenciamento da liberação e da distribuição, teste e validação de serviço, avaliação e gerenciamento do conhecimento.

    • D. 

      Descreve a fase do ciclo de vida do gerenciamento de serviços que é responsável pelas atividades do dia a dia, orientando sobre como garantir a entrega e o suporte a serviços de forma eficiente e eficaz e detalhando os processos de gerenciamento de eventos, incidentes, problemas, acesso e de execução de requisições.

    • E. 

      Orienta, através de princípios, práticas e métodos de gerenciamento da qualidade, sobre como fazer sistematicamente melhorias incrementais e de larga escala na qualidade do serviço, nas metas de eficiência operacional, na continuidade do serviço etc., com base no modelo PDCA preconizado pela ISO/IEC 20000.

  • 7. 
    O Núcleo da ITIL é composto por cinco publicações, cada uma delas relacionada a um estágio do ciclo de vida do serviço, contendo orientações para uma abordagem integrada de gerenciamento de serviços. Sendo assim, selecione a abordagem que define a publicação Transição do Serviço.
    • A. 

      Orienta sobre como as políticas e processos de gerenciamento de serviço podem ser desenhadas, desenvolvidas e implementada como ativos estratégicos ao longo do ciclo de vida de serviço. Entre os tópicos abordados nesta publicação, estão os ativos de serviço, o catálogo de serviços, gerenciamento financeiro, gerenciamento do portfólio de serviços, desenvolvimento organizacional, riscos estratégicos etc.

    • B. 

      Fornece orientação para o desenho e desenvolvimento dos serviços e dos processos de gerenciamento de serviços, detalhando aspectos do gerenciamento do catálogo de serviços, do nível de serviço, da capacidade, da disponibilidade, da continuidade, da segurança da informação e dos fornecedores, além de mudanças e melhorias necessárias para manter ou agregar valor aos clientes ao longo do ciclo de vida de serviço.

    • C. 

      Orienta sobre como efetivar a transição de serviços novos e modificados para operações implementadas, detalhando os processos de planejamento e suporte à transição, gerenciamento de mudanças, gerenciamento da configuração e dos ativos de serviço, gerenciamento da liberação e da distribuição, teste e validação de serviço, avaliação e gerenciamento do conhecimento.

    • D. 

      Descreve a fase do ciclo de vida do gerenciamento de serviços que é responsável pelas atividades do dia a dia, orientando sobre como garantir a entrega e o suporte a serviços de forma eficiente e eficaz e detalhando os processos de gerenciamento de eventos, incidentes, problemas, acesso e de execução de requisições.

    • E. 

      Orienta, através de princípios, práticas e métodos de gerenciamento da qualidade, sobre como fazer sistematicamente melhorias incrementais e de larga escala na qualidade do serviço, nas metas de eficiência operacional, na continuidade do serviço etc., com base no modelo PDCA preconizado pela ISO/IEC 20000.

Back to Top Back to top