Quiz- Fontes De Energia - Rumo Ao Enem

10 Questions | Total Attempts: 406

SettingsSettingsSettings
Please wait...
Quiz- Fontes De Energia - Rumo Ao Enem


Questions and Answers
  • 1. 
    A eficiência de um processo de conversão de energia é definida como a razão entre a produção de energia ou trabalho útil e o total de entrada de energia no processo. A figura mostra um processo com diversas etapas. Nesse caso, a eficiência geral será igual ao produto das eficiências das etapas individuais. A entrada de energia que não se transforma em trabalho útil é perdida sob formas não utilizáveis (como resíduos de calor).HINRICHS, R. A. Energia e Meio Ambiente. São Paulo: Pioneira Thomson Learning, 2003 (adaptado).Aumentar a eficiência dos processos de conversão de energia implica economizar recursos e combustíveis. Das propostas seguintes, qual resultará em maior aumento da eficiência geral do processo?
    • A. 

      Aumentar a quantidade de combustível para queima na usina de força.

    • B. 

      Utilizar lâmpadas incandescentes, que geram pouco calor e muita luminosidade.

    • C. 

      Manter o menor número possível de aparelhos elétricos em funcionamento nas moradias.

    • D. 

      Utilizar cabos com menor diâmetro nas linhas de transmissão a fim de economizar o material condutor.

    • E. 

      Utilizar materiais com melhores propriedades condutoras nas linhas de transmissão e lâmpadas fluorescentes nas moradias.

  • 2. 
    Evolução da matriz energética brasileiraO gráfico anterior trata da evolução da matriz energética no país ao longo dos anos. Pode-se deduzir, pela análise do gráfico, que as fontes de energia que mais geraram impactos no sistema produtivo e na espacialização do território brasileiro foram 
    • A. 

      Os produtos da cana, devido à adesão ao modal rodoviário em detrimento do ferroviário como matriz de interligação do território brasileiro, reflexo da adoção de carros flex.

    • B. 

      A hidráulica e a eletricidade, que provocaram grandes transformações na paisagem amazônica devido à construção de grandes empreendimentos de infraestrutura, como as usinas hidrelétricas.

    • C. 

      Os produtos da cana, que moldam a paisagem da fronteira agrícola brasileira, sendo uma fonte de combustível para automóveis e de eletricidade.

    • D. 

      O carvão mineral e seus derivados que, embora não renováveis, são de baixo impacto ambiental e determinaram uma utilização mais sustentável do território brasileiro.

    • E. 

      A lenha e o carvão vegetal, que ainda trazem significativo impacto para a paisagem, uma vez que são fontes de energia eficientes se comparadas com as demais.

  • 3. 
    Segundo dados do Balanço Energético Nacional de 2008, do Ministério das Minas e Energia, a matriz energética brasileira é composta por hidrelétrica (80%), termelétrica (19,9%) e eólica (0,1%). Nas termelétricas, esse percentual é dividido conforme o combustível usado, sendo: gás natural (6,6%), biomassa (5,3%), derivados de petróleo (3,3%), energia nuclear (3,1%) e carvão mineral (1,6%). Com a geração de eletricidade da biomassa, pode-se considerar que ocorre uma compensação do carbono liberado na queima do material vegetal pela absorção desse elemento no crescimento das plantas. Entretanto, estudos indicam que as emissões de metano (CH4) das hidrelétricas podem ser comparáveis às emissões de CO2 das termelétricas.MORET, A. S.; FERREIRA, I. A. As hidrelétricas do Rio Madeira e os impactos socioambientais da eletrificação no Brasil. Revista Ciência Hoje. V. 45, no 265, 2009 (adaptado).No Brasil, em termos do impacto das fontes de energia no crescimento do efeito estufa, quanto à emissão de gases, as hidrelétricas seriam consideradas como uma fonte. 
    • A. 

      Limpa de energia, contribuindo para minimizar os efeitos deste fenômeno.

    • B. 

      Eficaz de energia, tomando-se o percentual de oferta e os benefícios verificados.

    • C. 

      Limpa de energia, não afetando ou alterando os níveis dos gases do efeito estufa.

    • D. 

      Poluidora, colaborando com níveis altos de gases de efeito estufa em função de seu potencial de oferta.

    • E. 

      Alternativa, tomando-se por referência a grande emissão de gases de efeito estufa das demais fontes geradoras.

  • 4. 
    A energia geotérmica tem sua origem no núcleo derretido da Terra, onde as temperaturas atingem 4.000 ºC. Essa energia é primeiramente produzida pela decomposição de materiais radiativos dentro do planeta. Em fontes geotérmicas, a água, aprisionada em um reservatório subterrâneo, é aquecida pelas rochas ao redor e fica submetida a altas pressões, podendo atingir temperaturas de até 370 ºC sem entrar em ebulição. Ao ser liberada na superfície, à pressão ambiente, ela se vaporiza e se resfria, formando fontes ou gêiseres. O vapor de poços geotérmicos é separado da água e é utilizado no funcionamento de turbinas para gerar eletricidade. A água quente pode ser utilizada para aquecimento direto ou em usinas de dessalinização. Roger A. Hinrichs e Merlin Kleinbach. Energia e meio ambiente. Ed. ABDR (com adaptações).Depreende-se das informações acima que as usinas geotérmica 
    • A. 

      Utilizam a mesma fonte primária de energia que as usinas nucleares, sendo, portanto, semelhantes os riscos decorrentes de ambas.

    • B. 

      Funcionam com base na conversão de energia potencial gravitacional em energia térmica.

    • C. 

      Podem aproveitar a energia química transformada em térmica no processo de dessalinização.

    • D. 

      Assemelham-se às usinas nucleares no que diz respeito à conversão de energia térmica em cinética e, depois, em elétrica.

    • E. 

      Transformam inicialmente a energia solar em energia cinética e, depois, em energia térmica.

  • 5. 
    O potencial brasileiro para gerar energia a partir da biomassa não se limita a uma ampliação do Pró-álcool.O país pode substituir o óleo diesel de petróleo por grande variedade de óleos vegetais e explorar a alta produtividade das florestas tropicais plantadas. Além da produção de celulose, a utilização da biomassa permite a geração de energia elétrica por meio de termelétricas a lenha, carvão vegetal ou gás de madeira, com elevado rendimento e baixo custo.Cerca de 30% do território brasileiro é constituído por terras impróprias para a agricultura, mas aptas àexploração florestal. A utilização de metade dessa área, ou seja, de 120 milhões de hectares, para a formação de florestas energéticas, permitiria produção sustentada do equivalente a cerca de 5 bilhões de barris de petróleo por ano, mais que o dobro do que produz a Arábia Saudita atualmente. José Walter Bautista Vidal. Desafios Internacionais para o século XXI. Seminário da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados, ago./2002 (com adaptações).Para o Brasil, as vantagens da produção de energia a partir da biomassa incluem
    • A. 

      Implantação de florestas energéticas em todas as regiões brasileiras com igual custo ambiental e econômico.

    • B. 

      Substituição integral, por biodiesel, de todos os combustíveis fósseis derivados do petróleo.

    • C. 

      Formação de florestas energéticas em terras impróprias para a agricultura.

    • D. 

      Importação de biodiesel de países tropicais, em que a produtividade das florestas seja mais alta.

    • E. 

      Regeneração das florestas nativas em biomas modificados pelo homem, como o Cerrado e a Mata Atlântica.

  • 6. 
    O acidente nuclear de Chernobyl revela brutalmente os limites dos poderes técnico-científicos da humanidade e as ”marchas-à-ré“ que a ”natureza“ nos pode reservar. É evidente que uma gestão mais coletiva se impõe para orientar as ciências e as técnicas em direção a finalidades mais humanas.GUATTARI, F. As três ecologias. São Paulo: Papirus, 1995 (adaptado).O texto trata do aparato técnico-científico e suas consequências para a humanidade, propondo que esse desenvolvimento
    • A. 

      Defina seus projetos a partir dos interesses coletivos.

    • B. 

      Guie-se por interesses econômicos, prescritos pela lógica do mercado.

    • C. 

      Priorize a evolução da tecnologia, se apropriando da natureza.

    • D. 

      Promova a separação entre natureza e sociedade tecnológica.

    • E. 

      Tenha gestão própria, com o objetivo de melhor apropriação da natureza.

  • 7. 
    Os biocombustíveis de primeira geração são derivados da soja, milho e cana-de-açúcar e sua produção ocorre através da fermentação. Biocombustíveis derivados de material celulósico ou bicombustíveis de segunda geração — coloquialmente chamados de “gasolina de capim” — são aqueles produzidos a partir de resíduos de madeira (serragem, por exemplo), talos de milho, palha de trigo ou capim de crescimento rápido e se apresentam como uma alternativa para os problemas enfrentados pelos de primeira geração, já que as matérias-primas são baratas e abundantes.DALE, B. E.; HUBER, G. W. Gasolina de capim e outros vegetais. Scientific American Brasil. Ago. 2009, no 87 (adaptado).O texto mostra um dos pontos de vista a respeito do uso dos biocombustíveis na atualidade, os quais
    • A. 

      São matrizes energéticas com menor carga de poluição para o ambiente e podem propiciar a geração de novos empregos, entretanto, para serem oferecidos com baixo custo, a tecnologia da degradação da celulose nos biocombustíveis de segunda geração deve ser extremamente eficiente.

    • B. 

      Oferecem múltiplas dificuldades, pois a produção é de alto custo, sua implantação não gera empregos, e deve-se ter cuidado com o risco ambiental, pois eles oferecem os mesmos riscos que o uso de combustíveis fósseis.

    • C. 

      Sendo de segunda geração, são produzidos por uma tecnologia que acarreta problemas sociais, sobretudo decorrente do fato de a matéria-prima ser abundante e facilmente encontrada, o que impede a geração de novos empregos.

    • D. 

      Sendo de primeira e segunda geração, são produzidos por tecnologias que devem passar por uma avaliação criteriosa quanto ao uso, pois uma enfrenta o problema da falta de espaço para plantio da matéria-prima e a outra impede a geração de novas fontes de emprego.

    • E. 

      Podem acarretar sérios problemas econômicos e sociais, pois a substituição do uso de petróleo afeta negativamente toda uma cadeia produtiva na medida em que exclui diversas fontes de emprego nas refinarias, postos de gasolina e no transporte de petróleo e gasolina

  • 8. 
    O gráfico a seguir ilustra a evolução do consumo de eletricidade no Brasil, em GWh, em quatro setores de consumo, no período de 1975 a 2005.A racionalização do uso da eletricidade faz parte dos programas oficiais do governo brasileiro desde 1980. No entanto, houve um período crítico, conhecido como “apagão”, que exigiu mudanças de hábitos da população brasileira e resultou na maior, mais rápida e significativa economia de energia. De acordo com o gráfico, conclui-se que o “apagão” ocorreu no biênio
    • A. 

      1998-1999.

    • B. 

      1999-2000.

    • C. 

      2000-2001.

    • D. 

      2001-2002.

    • E. 

      2002-2003.

  • 9. 
    No mundo contemporâneo, as reservas energéticas tornam-se estratégicas para muitos países no cenário internacional. Os gráficos apresentados mostram os dez países com as maiores reservas de petróleo e gás natural em reservas comprovadas até janeiro de 2008.As reservas venezuelanas figuram em ambas as classificações porque 
    • A. 

      A Venezuela já está integrada ao MERCOSUL.

    • B. 

      São reservas comprovadas, mas ainda inexploradas.

    • C. 

      Podem ser exploradas sem causarem alterações ambientais.

    • D. 

      Já estão comprometidas com o setor industrial interno daquele país.

    • E. 

      A Venezuela é uma grande potência energética mundial.

  • 10. 
    Se comparado com o uso do milho como matéria-prima na obtenção do etanol, o uso da cana-de-açúcar é
    • A. 

      Mais eficiente, pois a produtividade do canavial é maior que a do milharal, superando-a em mais do dobro de litros de álcool produzido por hectare.

    • B. 

      Mais eficiente, pois gasta-se menos energia fóssil para se produzir 1 litro de álcool a partir do milho do que para produzi-lo a partir da cana.

    • C. 

      Igualmente eficiente, pois, nas duas situações, as diferenças entre o preço de venda do litro do álcool e o custo de sua produção se equiparam.

    • D. 

      Menos eficiente, pois o balanço energético para se produzir o etanol a partir da cana é menor que o balanço energético para produzi-lo a partir do milho.

    • E. 

      Menos eficiente, pois o custo de produção do litro de álcool a partir da cana é menor que o custo de produção a partir do milho.

Back to Top Back to top