Praticando Um Pouco Mais! 2º Ano 2ª Etapa

10 Questes | Total Attempts: 153

SettingsSettingsSettings
Please wait...
Praticando Um Pouco Mais! 2 Ano 2 Etapa

Questions and Answers
  • 1. 
    "Milhares de séculos decorrerão antes que as circunstâncias acumuladas sobre a minha cabeça vão encontrar um outro na multidão para reproduzir o mesmo espetáculo." (Napoleão Bonaparte) Sobre o período napoleônico (1799-1815), podemos afirmar que:
    • A. 

      Consolidou a revolução burguesa na França através da contenção dos monarquistas e jacobinos.

    • B. 

      Manteve as perseguições religiosas e o confisco das propriedades eclesiásticas iniciadas durante a Revolução Francesa.

    • C. 

      Enfrentou a oposição do exército e dos camponeses ao se fazer coroar imperador dos franceses.

    • D. 

      Favoreceu a aliança militar e econômica com a Inglaterra, visando à expansão de mercados.

    • E. 

      Anulou diversas conquistas do período revolucionário, tais como a igualdade entre os indivíduos e o direito de propriedade.

  • 2. 
    (UEL/PR) A transferência da Corte de D. João VI para a colônia portuguesa teve apoio do governo britânico, uma vez que:
    • A. 

      Portugal negociou o domínio luso na Península Ibérica com a Inglaterra, em troca de proteção estratégica e bélica na longa viagem marítima ao Brasil.

    • B. 

      Em meio à crescente Revolução Industrial, os negociantes ingleses precisavam expandir seus mercados rumo às Américas, já que o europeu era insuficiente.

    • C. 

      O bloqueio continental imposto por Napoleão fechou o comércio inglês com o continente europeu; a instalação do governo luso no Brasil propiciou a retomada dos negócios luso-anglicanos.

    • D. 

      O exército napoleônico invadiu Portugal visando a instituir o regime democrático republicano de paz e comércio, em franca oposição ao expansionismo da monarquia britânica.

    • E. 

      Os ingleses pretendiam consolidar novos mercados na América Portuguesa, tendo em vista antigas afinidades socioculturais com os ibéricos.

  • 3. 
    (UNIFOR/CE) A vinda da Corte para o Brasil marca a primeira ruptura definitiva do Antigo Sistema Colonial. (Fernando A Novais. Portugal e Brasil na crise do Antigo Sistema Colonial. São Paulo: Hucitec, 1981. p. 298)   A ruptura a que o autor se refere estava intimamente relacionada, dentre outros fatores, à decisão da Coroa portuguesa de:
    • A. 

      Conceder liberdade para o estabelecimento de fábricas nas cidades brasileiras.

    • B. 

      Interromper o comércio de escravos praticado entre a colônia e a Inglaterra.

    • C. 

      Proibir o comércio de manufaturas feito entre a colônia e a burguesia inglesa

    • D. 

      Romper os laços comerciais com a Inglaterra por exigência dos franceses.

    • E. 

      Abrir os portos brasileiros ao livre-comércio com as “nações amigas”.

  • 4. 
    (Fuvest-SP) “... quando o príncipe regente português, D. João, chegou de malas e bagagens para residir no Brasil, houve um grande alvoroço na cidade do Rio de Janeiro. Afinal era a própria encarnação do rei (...) que aqui desembarcava. D. João não precisou, porém, caminhar muito para alojar-se. Logo em frente ao cais estava localizado o Palácio dos Vice-Reis”. (Lilia Schwarcz. As Barbas do Imperador.) O significado da chegada de D. João ao Rio de Janeiro pode ser resumido como:
    • A. 

      Decorrência da loucura da rainha Dona Maria I, que não conseguia se impor no contexto político europeu.

    • B. 

      Fruto das derrotas militares sofridas pelos portugueses ante os exércitos britânicos e de Napoleão Bonaparte.

    • C. 

      Inversão da relação entre metrópole e colônia, já que a sede política do império passava do centro para a periferia.

    • D. 

      Alteração da relação política entre monarcas e vice-reis, pois estes passaram a controlar o mando a partir das colônias.

    • E. 

      Imposição do comércio britânico, que precisava do deslocamento do eixo político para conseguir isenções alfandegárias.

  • 5. 
    (Cesgranrio) Durante as últimas décadas do século XVIII, a colônia portuguesa na América foi palco de movimentos como a Inconfidência Mineira (1789), a Conjuração do Rio de Janeiro (1794) e a Conjuração Baiana (1798). A respeito desses movimentos pode-se afirmar que:
    • A. 

      Demonstravam a intenção das classes proprietárias, adeptas das ideias liberais de seguirem o exemplo da Revolução Americana (1776) e proclamarem a independência, construindo uma sociedade democrática em que todos os homens seriam livres e iguais.

    • B. 

      Expressavam a crise do Antigo Sistema Colonial através da tomada de consciência, por parte de diferentes setores da sociedade colonial, de que a exploração exercida pela Metrópole era contrária aos seus interesses e responsável pelo empobrecimento da Colônia.

    • C. 

      Denunciavam a total adesão dos colonos às pressões da burguesia industrial britânica a favor da independência e da abolição do tráfico negreiro para se constituir, no Brasil, um mercado de consumo para os manufaturados.

    • D. 

      Representavam uma forma de resistência dos colonos às tentativas de recolonização empreendidas, depois da Revolução do Porto, pelas Cortes de Lisboa, liberais em Portugal, que queriam reaver o monopólio do comércio com o Brasil.

    • E. 

      Tinham cunho separatista e uma ideologia marcadamente nacionalista, visando à libertação da Colônia da Metrópole e à formação de um Império no Brasil através da união das várias regiões até então desunidas.

  • 6. 
    A Revolução do Porto, em 1820, pode ser considerada decisiva para a Independência do Brasil, por que:
    • A. 

      Garantia a economia da Colônia implementada durante a permanência do governo português no Brasil;

    • B. 

      Fortalecia os grupos liberais radicais, cada vez mais ativos na Colônia e articulados com os grandes proprietários;

    • C. 

      Impunha à Colônia um programa de reformas liberais, com a proibição do tráfico negreiro;

    • D. 

      Transferia à Colônia o caráter reformista do capitalismo industrial e do liberalismo;

    • E. 

      Ameaçava os interesses dos grupos brasileiros, tentando reverter várias medidas tomadas por D. João no Brasil.

  • 7. 
    Com a transferência da Corte Portuguesa para o Brasil em 1808 D.João VI ao chegar em Salvador assinou a Abertura dos Portos. O significado econômico e hierárquico e histórico dessa medida foi:
    • A. 

      A
 extinção
 do
 pacto
 colonial
 e
 com
 ele
 do
 mercantilismo
 português
 em
 nosso
 país, 
 iniciando
 o livre comércio, base da nossa emancipação política

    • B. 

      O endurecimento das medidas fiscalistas portuguesas que oneraram ainda mais nossa economia

    • C. 

      O reforço do monopólio português em nosso país para benefício da burguesia da metrópole

    • D. 

      O funcionamento de novos dispositivo mercantilista visando impedir a liberdade industrial da colônia

    • E. 

      A não alteração das relações coloniais da metrópole

  • 8. 
    (Mackenzie) Relativamente ao Primeiro Reinado, considera as afirmações a seguir:   A dissolução da Constituinte, o estilo de governo autoritário e a repressão à Confederação do Equador aceleraram o desgaste político de Pedro I. O temor de uma provável recolonização, caso fosse restabelecida a união com Portugal, aprofundou os atritos entre brasileiros e portugueses. O aumento das exportações agrícolas, a estabilidade da moeda e a redução do endividamento externo foram pontos favoráveis do governo de Pedro I. A cúpula do exército, desconte com a derrota militar na Guerra da Cisplatina, aderiu à revolta, que culminou na Abdicação do Imperador.   Então:
    • A. 

      Todas estão corretas

    • B. 

      Todas são falsas

    • C. 

      Apenas I e II estão corretas

    • D. 

      Apenas I,II e IV estão corretas

    • E. 

      Apenas III está correta.

  • 9. 
    (Cesgranrio) A Constituição imperial brasileira, promulgada em 1824, estabeleceu linhas básicas da estrutura e do funcionamento do sistema político imperial tais como o(a):
    • A. 

      Equilíbrio dos poderes com o controle constitucional do Imperador e as ordens sociais privilegiadas.

    • B. 

      Ampla participação política de todos os cidadãos, com exceção dos escravos.

    • C. 

      Laicização do Estado por influência das idéias liberais.

    • D. 

      Predominância do poder do imperador sobre todo o sistema através do Poder Moderador.

    • E. 

      Autonomia das Províncias e, principalmente, dos Municípios, reconhecendo-se a formação regionalizada do país.

  • 10. 
    (Ufes) Se o voto deixasse de ser obrigatório, o senhor iria votar nas próximas eleições? O GLOBO - 3/8/98 Conforme a pesquisa do Ibope, em 1998, mais da metade dos eleitores não fazia questão de votar. Entretanto, durante o período de Império, de acordo com a Constituição de 1824, no Brasil era o sistema eleitoral que restringia a participação política da maioria, pois:
    • A. 

      Garantia a vitaliciedade do mandato dos deputados, tornando raras as eleições.

    • B. 

      Convocava eleições apenas para o cargo de Primeiro Ministro, conforme regulamentação do Parlamentarismo.

    • C. 

      Concedia o direito de votar somente a quem tivesse certa renda, sendo os votantes selecionados segundo critérios censitários.

    • D. 

      Promovia eleições em Portugal, com validade para o Brasil.

    • E. 

      Permitia apenas às camadas da elite portuguesa o direito de eleger seus representantes, limitando a influência da aristocracia rural brasileira.

Back to Top Back to top