Reformas Religiosas (SÉc. XVI)

8 Questes | Total Attempts: 1773

SettingsSettingsSettings
Please wait...
Reformas Religiosas (SÉc. XVI)

Questions and Answers
  • 1. 
    (Fgv 2013)  Em 1939, atendendo ao apelo do Papa Pio XII, o Conselho de Imigração e Colonização do Ministério das Relações Exteriores do Brasil resolveu autorizar a entrada de 3 000 imigrantes de origem “semita”. Condição sine qua non para obter “o visto da salvação”: a conversão ao catolicismo. Pressionados pelos acontecimentos que marcavam a história do III Reich, os judeus, mais uma vez, foram obrigados a abandonar seus valores culturais em troca do título de cristão.   [Maria Luiza Tucci Carneiro, O antissemitismo na Era Vargas (1930-1945)] A situação apresentada tem semelhança com o processo histórico da 
    • A. 

      Permissão apenas do culto católico no Brasil, conforme preceito presente na primeira Constituição, de 1891.

    • B. 

      Repressão ao arraial de Canudos, no sertão baiano, pois recaiu sobre os sertanejos a acusação de ateísmo.

    • C. 

      Obrigatoriedade, conforme costume colonial, dos negros alforriados de conversão ao catolicismo para a obtenção da efetiva liberdade.

    • D. 

      Conversão obrigatória dos judeus na Espanha e em Portugal, a partir do final do século XV, o que gerou a denominação cristão-novo.

    • E. 

      Separação entre Estado e Igreja no Brasil, determinada pelo Governo Provisório da República, comandada por Deodoro da Fonseca.

  • 2. 
    (Fgv 2013)  Leia o fragmento.   Um famoso escândalo político foi o de Antônio Perez, que em 1571 era secretário de Estado de Felipe II, tendo alcançado um dos postos mais importantes na monarquia. Por rivalidades, viu-se envolvido em intrigas internacionais. Conhecia todos os segredos da coroa, tendo absoluto controle sobre o Tesouro. Foi acusado de vender cargos, de suborno e de trair segredos do Estado. Felipe viu um caminho para atingi-lo: a Inquisição. Tinha de ser acusado de heresia. Foi difícil encontrar provas contra seu catolicismo, mas o confessor do rei conseguiu-as. Mesmo sendo íntimo amigo do inquisidor-mor e tendo o apoio da população de Saragoça, Perez foi acusado de herege. Conseguiu fugir e morreu em Paris, e, conforme testemunhou o núncio apostólico da região, sempre viveu como fiel católico.   (Anita Novinsky, A inquisição)     A partir do texto, é correto concluir que a Inquisição espanhola 
    • A. 

      Ampliou as suas prerrogativas nas nações europeias menos fiéis ao poder do papado, com o intuito de ampliar o número de seguidores.

    • B. 

      Perdeu parte de suas atribuições e poderes a partir da Contrarreforma católica, conforme deliberação do Concílio de Trento.

    • C. 

      Manteve, durante a sua existência secular, vínculos essenciais com a questão religiosa, excepcionalmente confundindo-se com a questão política.

    • D. 

      Resumiu sua atuação a alguns poucos casos exemplares, com o intuito de evitar a propagação do islamismo e das igrejas reformadas.

    • E. 

      Apesar de sua fundamentação religiosa, esteve vinculada ao Estado e serviu aos interesses de grupos ligados ao poder.

  • 3. 
    (Uepb 2013)  “A arte mineira caracterizou-se pelo estilo barroco que esteve em voga na Europa até princípios do século XVIII.” (José Alves de Freitas Neto e Célio Ricardo Tasinafo. História Geral e do Brasil. HARBRA. p. 325). Sobre o barroco é correto afirmar: 
    • A. 

      Como forma única de expressão, as imagens barrocas são uniformes e regulares, conforme o pensamento religioso católico.

    • B. 

      O barroco expressava o racionalismo da época moderna, condenando as expressões metafísicas e o sentimento religioso.

    • C. 

      Era um estilo intimamente ligado à Contrarreforma, pois expressava os fundamentos da devoção religiosa por meio de construções, esculturas e iconografias que enalteciam os princípios da fé católica.

    • D. 

      O barroco esteve intimamente ligado ao protestantismo, condenando as iconografias e dando ênfase apenas ao estilo arquitetônico.

    • E. 

      O barroco mineiro desenvolveu características universais evitando as especificidades e o regionalismo.

  • 4. 
    (Udesc 2013)  Em 1545, o papa convocou uma reunião entre os membros mais importantes da Igreja Católica a fim de debater sobre questões doutrinárias e disciplinares. O Concílio de Trento, como ficou conhecida esta reunião, durou 18 anos e foi motivado pelos questionamentos à Igreja Católica os quais se tornaram cada vez mais frequentes no início do século XVI, e que levaram à Reforma Protestante.   Analise as proposições em relação ao contexto.   I. A Reforma Protestante difundiu-se em várias regiões da Europa, entre as quais as regiões que atualmente compõem a Alemanha, Suíça, Inglaterra e Holanda. II. Martinho Lutero foi um crítico da Igreja Católica. Após a publicação das suas críticas, conhecidas como 95 teses, que foram afixadas na porta da Igreja de Wittenberg, ele foi excomungado pelo Papa Leão X. III. Entre as novas doutrinas que surgiram com a Reforma Protestante estão o Luteranismo, o Calvinismo e o Anglicanismo. IV. A Reforma Protestante ocorreu juntamente com outras mudanças, como o aumento do poder dos reis e o fortalecimento dos Estados Nacionais.   Assinale a alternativa correta. 
    • A. 

      Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.

    • B. 

      Somente as afirmativas I, III e IV são verdadeiras.

    • C. 

      Somente as afirmativas I, II e IV são verdadeiras.

    • D. 

      Somente as afirmativas II, III e IV são verdadeiras.

    • E. 

      Todas as afirmativas são verdadeiras.

  • 5. 
    (Unicamp 2013)  “Uma pobre mulher, enforcada em 1739 por ter roubado carvão, acreditava que não houvesse pecado nos pobres roubarem os ricos e que, de qualquer forma, Cristo havia morrido para obter o perdão para tais pecadores.”   (Christopher Hill, A Bíblia Inglesa e as revoluções do século XVII. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003, p. 608.)   Considerando o trecho acima, podemos afirmar, quanto à sociedade inglesa dos séculos XVII e XVIII, que: 
    • A. 

      A religião fornecia argumentos para diversos grupos sociais agirem de acordo com seus interesses e necessidades.

    • B. 

      Ainda dominava na sociedade inglesa a ideia da necessidade da confissão intermediada pela Igreja para perdão dos pecados.

    • C. 

      A reforma anglicana, ao atacar a propriedade privada, distanciou-se das elites inglesas e tornou-se a religião dos pobres.

    • D. 

      As revoluções Puritana e Gloriosa foram um obstáculo ao desenvolvimento burguês da Inglaterra e contrapunham-se à relação entre religião e política.

  • 6. 
    (Fuvest 2013)  “O senhor acredita, então”, insistiu o inquisidor, “que não se saiba qual a melhor lei?” Menocchio respondeu: “Senhor, eu penso que cada um acha que sua fé seja a melhor, mas não se sabe qual é a melhor; mas, porque meu avô, meu pai e os meus são cristãos, eu quero continuar cristão e acreditar que essa seja a melhor fé”.   Carlo Ginzburg. O queijo e os vermes. São Paulo: Companhia das Letras, 1987, p. 113.   O texto apresenta o diálogo de um inquisidor com um homem (Menocchio) processado, em 1599, pelo Santo Ofício. A posição de Menocchio indica 
    • A. 

      Uma percepção da variedade de crenças, passíveis de serem consideradas, pela Igreja Católica, como heréticas.

    • B. 

      Uma crítica à incapacidade da Igreja Católica de combater e eliminar suas dissidências internas.

    • C. 

      Um interesse de conhecer outras religiões e formas de culto, atitude estimulada, à época, pela Igreja Católica.

    • D. 

      Um apoio às iniciativas reformistas dos protestantes, que defendiam a completa liberdade de opção religiosa.

    • E. 

      Uma perspectiva ateísta, baseada na sua experiência familiar.

  • 7. 
    (Unioeste 2012)  “Em primeiro lugar, nosso modesto pedido (…) nos sejam dados poder e autoridade para que cada comunidade possa eleger o seu pastor (…). Ele nos pregará o Evangelho de maneira acessível e sem deturpá-lo (...). Em terceiro lugar, até agora éramos tratados como escravos, o que é uma vergonha, pois, com o seu precioso sangue, Jesus Cristo nos salvou a todos, (…). Por esse motivo, deduzimos das Sagradas Escrituras que somos livres, e livres queremos ser. (...) Em quarto lugar, somos prejudicados ainda pelos nossos senhores, que se apoderam de todas as florestas. Se o pobre precisa de lenha ou madeira tem que pagar o dobro por ela. Nós somos da opinião que deve ser restituída à comunidade toda e qualquer floresta que se encontra em mãos de leigos ou religiosos que não adquiriram legalmente. (...)”.   Manifesto dos Camponeses em 1525. In: Antologia Humanística Alemã. Porto alegre, Globo, 1972, pp.15-16.   O trecho acima reproduz parte do manifesto elaborado durante as Revoltas Camponesas ocorridas no contexto da Reforma Protestante. Sobre o sentido da Reforma Protestante e Revoltas Camponesas, pode-se afirmar que 
    • A. 

      A Reforma Protestante foi um movimento de caráter estritamente religioso sem qualquer conotação política ou social.

    • B. 

      Inspirados na doutrina calvinista de que todos os cristãos já nasciam salvos, os camponeses liquidaram com a servidão existente nos principados alemães.

    • C. 

      Sob a influência da reforma luterana os camponeses alemães questionaram os privilégios da Igreja Católica e dos príncipes alemães.

    • D. 

      A revolta dos camponeses alemães culminou num evento trágico conhecido como a Noite de São Bartolomeu em que o ódio religioso dos protestantes matou centenas de católicos.

    • E. 

      Com o apoio da Igreja Anglicana, interessada no rompimento com o controle exercido pelo Papa, os camponeses lutaram pela distribuição das terras da Igreja Católica.

  • 8. 
    (Ufrn 2012)  Ao comentar a Reforma Protestante do século XVI, Márcio Ferrari afirma:   O nascimento do protestantismo teve profundas implicações sociais, econômicas e políticas. Na educação, o pensamento de Lutero produziu uma reforma global do sistema de ensino alemão, que inaugurou a escola moderna. [...] A ideia da escola pública e para todos, organizada em três grandes ciclos (fundamental, médio e superior) e voltada para o saber útil nasce do projeto educacional de Lutero.   FERRARI, Márcio. Martinho Lutero: o criador do conceito de educação útil. Nova escola. n. 187, nov. 2005. p. 30.   A proposta educacional de Lutero, referida no comentário acima, está diretamente relacionada 
    • A. 

      à defesa, por parte dos reformadores, da liberdade de interpretar a Bíblia, de modo que qualquer fiel tivesse acesso às fontes da doutrina.

    • B. 

      Ao desejo de facilitar para os fiéis a leitura da Vulgata, tradução da Bíblia em latim, aceita como versão oficial da Igreja Luterana.

    • C. 

      Ao projeto de melhoria da instrução do povo para que este pudesse compreender a doutrina luterana, cujo ensino era de competência exclusiva dos sacerdotes.

    • D. 

      à proposta de difusão da leitura entre o povo, para que este conhecesse os catecismos produzidos no Concílio de Trento.

Back to Top Back to top