Pré-teste 9º Ano [3ª Etapa]

10 Preguntas

Settings
Please wait...
Pré-teste 9º Ano [3ª Etapa]

Questions and Answers
  • 1. 
    Leia o texto a seguir para responder às questões de 01 a 04. Pelo mundo afora, os jornais sentem a agulhada de uma conjunção de fatores especialmente desfavoráveis: a recessão mundial, que reduz os gastos com publicidade, e o avanço da internet, que suga anúncios, sobretudo os pequenos e rentáveis classificados, e também serve como fonte – em geral gratuita – de informações. Na Inglaterra, para sobreviver, os jornais querem leis menos severas para fusão e aquisição de empresas. Na França, o governo duplicou a verba de publicidade e dá isenção tributária a investimentos dos jornais na internet.Mas em nenhum outro lugar a tormenta é tão assustadora quanto nos Estados Unidos. A recessão atropelou os dois maiores anunciantes – o mercado imobiliário e a indústria automobilística – e a evolução da tecnologia, com seu impacto sísmico na disseminação da informação, se dá numa velocidade alucinante no país. O binômio recessão-internet está produzindo uma devastação. Vários jornais, mesmo bastante antigos e tradicionais, fecharam suas portas.O fechamento de um jornal é o fim de um negócio como outro qualquer. Mas, quando o jornal é o símbolo e um dos últimos redutos do jornalismo, como é o caso do New York Times, morrem mais coisas com ele. Morrem uma cultura e uma visão generosa do mundo. Morre um estilo de vida romântico, aventureiro, despojado e corajoso que, como em nenhum outro ramo de negócios, une funcionários, consumidores e acionistas em um objetivo comum e maior do que interesses particulares de cada um deles.Desde que os romanos passaram a pregar em locais públicos sua Acta Diurna, o manuscrito em que informavam sobre disputas de gladiadores, nascimentos ou execuções, os jornais começaram a entrar na veia das sociedades civilizadas. Mas, para chegar ao auge, a humanidade precisou fazer uma descoberta até hoje insubstituível (o papel), duas invenções geniais (a escrita e a impressão) e uma vasta mudança social (a alfabetização). Por isso, um jornal, ainda que seja um negócio, não é como vender colírio ou fabricar escadas rolantes. (André Petry. Revista Veja, 29 de abril de 2009, pp. 90-93, com adaptações) 1. O desenvolvimento do texto permite perceber claramente que:
    • A. 

      O conhecimento divulgado pela internet é, evidentemente, bem superior ao dos jornais que enfrentam dificuldades econômicas atualmente

    • B. 

      A publicidade é elemento primordial no faturamento de um grupo jornalístico, necessário para manter sua saúde financeira

    • C. 

      Os jornais são veículos de informação já ultrapassados, que seguramente logo estarão extintos, ainda que estejam conseguindo sobrepor-se aos avanços da internet

    • D. 

      As medidas governamentais de intervenção em jornais de todo o mundo têm se mostrado a única forma de solucionar problemas decorrentes da crise financeira

  • 2. 
    Conclui-se corretamente do texto que seu autor:
    • A. 

      Avalia a extensão dos danos econômicos trazidos aos governos de alguns países que se dispuseram a manter sua impressão e a venda de seus exemplares

    • B. 

      Defende a importância dos avanços da tecnologia em substituição aos processos de impressão de jornais, pouco rentáveis no mundo moderno

    • C. 

      Critica a desmerecida importância que se atribui à publicidade nos jornais, quando eles deveriam ser, prioritariamente, veículos de discussão de fatos e de ideias

    • D. 

      Destaca a importância de um jornal na vida moderna, mesmo com a concorrência da internet, cujos avanços disseminam informação em todo o mundo

  • 3. 
    Está correto pelo o que infere-se do texto o que consta em:
    • A. 

      A crise mundial pode ter sido benéfica ao setor jornalístico em vários países, por serem eles veículos de divulgação das informações necessárias ao público

    • B. 

      O binômio recessão-internet não está produzindo uma devastação. Vários jornais, mesmo bastante antigos e tradicionais, até hoje mantém suas portas abertas

    • C. 

      Jornais não devem ser vistos acima de simples negócios

    • D. 

      Jornais são veículos de informação importantes na sociedade atual como formadores de opinião de um imenso público, pois exibem um modo de ver e de mostrar os fatos

  • 4. 
    O fechamento de um jornal é o fim de um negócio como outro qualquer. Mas, quando o jornal é o símbolo e um dos últimos redutos do jornalismo, como é o caso do New York Times, morrem mais coisas com ele. Em relação às afirmativas acima, que dão início ao 3o parágrafo, é correto afirmar que:
    • A. 

      A frase morrem mais coisas com ele, que finaliza o trecho transcrito, refere-se diretamente ao fato de que o jornal é um negócio como outro qualquer

    • B. 

      A segunda frase traz uma ressalva a respeito do que foi dito na primeira, contestando, de certa forma, a expressão um negócio como outro qualquer

    • C. 

      A primeira frase enfatiza o sentido de que o jornal é um dos últimos redutos das sociedades civilizadas, por ser veículo de comunicação de fatos e de ideais

    • D. 

      Na segunda frase o autor defende a opinião de que um jornal deve transformar-se em um dos últimos redutos do jornalismo, ao estabelecer o monopólio da informação

  • 5. 
    No período - “Torna-se, portanto, imperativa uma revisão conceitual do modelo presente do processo de desenvolvimento tecnológico de modo a levar em conta o fator cultural como dominante” - a oração grifada traduz:
    • A. 

      Concessão

    • B. 

      Consequência

    • C. 

      Comparação

    • D. 

      Condição

  • 6. 
    Em “Embora ela tivesse sido alta e clara”, a oração exprime:
    • A. 

      Causa

    • B. 

      Condição

    • C. 

      Concessão

    • D. 

      Finalidade

  • 7. 
    “Hoje, a dependência operacional está reduzida, uma vez que o Brasil adquiriu autossuficiência na produção de bens como papel-imprensa (...)” A oração grifada no período tem valor:
    • A. 

      Causal

    • B. 

      Conclusivo

    • C. 

      Concessivo

    • D. 

      Conformativo

  • 8. 
    As questões de 08 a 10 baseiam-se numa entrevista publicada na revista Veja (adaptada). O ensaísta canadense Alberto Manguel, autor de Uma História da Leitura, explica por que a palavra escrita é a grande ferramenta para entender o mundo.  Veja - Numa época em que predominam as imagens, por que a leitura ainda é importante?  Manguel - A atual cultura de imagens é superficialíssima, ao contrário do que acontecia na Idade Média e na Renascença,  épocas que também eram marcadas por uma forte imagética. Pense, por exemplo, nas imagens veiculadas pela publicidade. Elas captam a nossa atenção por apenas poucos segundos, sem nos dar chance para pensar. Essa é a tendência geral em todos os meios visíveis. Assim, a palavra escrita é, mais do que nunca, a nossa principal ferramenta para compreender o mundo. A grandeza do texto consiste em nos dar a possibilidade de refletir e interpretar. Prova disso é que as pessoas estão lendo cada vez mais, assim como mais livros estão sendo publicados a cada ano.  Bill Gates, presidente da Microsoft, propõe uma sociedade sem papel. Mas, para desenvolver essa ideia, ele publicou um livro. Isso diz alguma coisa. 8. O item abaixo em que o elemento destacado tem seu valor semântico corretamente indicado é: 
    • A. 

      ...a grande ferramenta PARA entender o mundo - meio

    • B. 

      ...explica POR QUE a palavra escrita... - finalidade

    • C. 

      ...por que a leitura AINDA é importante? - concessão

    • D. 

      ...épocas TAMBÉM marcadas por uma forte imagética. - acréscimo

  • 9. 
    “Numa época em que predominam as imagens”; a época a que se refere o repórter é: 
    • A. 

      Indeterminada

    • B. 

      A dos dias de hoje

    • C. 

      A da Idade Média e da Renascença

    • D. 

      A de um passado próximo

  • 10. 
    Considerando que os vocábulos imagéticos e visíveis aparecem há pouco tempo nos dicionários de língua portuguesa, isto pode significar que:
    • A. 

      São vocábulos erradamente criados pelo autor do texto

    • B. 

      Tais vocábulos são traduções inadequadas de vocábulos estrangeiros

    • C. 

      Representam realidades ainda ausentes de nosso cenário cultural

    • D. 

      Se trata de neologismos já reconhecidos oficialmente