Feudalismo Europeu

9 Questűes

Settings
Please wait...
Feudalismo Europeu

Questions and Answers
  • 1. 
    (Espcex (Aman) 2014)  “O feudalismo foi a forma de organização política, social e econômica dominante na Europa Ocidental durante a Idade Média.” (AZEVEDO & SERIACOPI, 2007)   Abaixo estão redigidas algumas afirmações: I. Os servos da gleba viviam sob o domínio dos senhores feudais. II. Declínio das atividades rurais e fortalecimento das atividades comerciais urbanas. III. Sociedade rigidamente hierarquizada, mas com grande mobilidade entre as classes. IV. Poder político fragmentado entre senhores feudais e o rei. V. Grandes senhores de terras e alto clero ocupavam o topo da sociedade. Assinale a alternativa que lista unicamente características do feudalismo.  
    • A. 

      I, II e III.

    • B. 

      II, III e V.

    • C. 

      I, IV e V.

    • D. 

      III, IV e V.

    • E. 

      I, III e V.

  • 2. 
    (Uel 2014)  No período da Baixa Idade Média, a cidade de Veneza foi progressivamente revigorada pelo comércio, o qual produziu instituições políticas autônomas, libertando-se do poder papal. Com base na influência político-econômica das cidades mercantis nesse período, considere as afirmativas a seguir.   I. Os senhores feudais detentores dos domínios aristocráticos atacaram o poder político das cidades nascentes, pois este os impedia de arrecadar os seus tributos e taxas. II. As guildas e as corporações de ofícios inseriram nos burgos a concorrência ao libertarem o comércio do monopólio e os trabalhadores de seus padrões rígidos de produção. III. As rotas comerciais tornaram-se pontos de confluência de inúmeras culturas e credos, professados por diversos povos, entre os quais judeus, muçulmanos e chineses. IV. Na Europa, as cidades de Veneza e Gênova eram consideradas portas de entrada de produtos muito valorizados, como especiarias e tecidos, advindos do Oriente.   Assinale a alternativa correta. 
    • A. 

      Somente as afirmativas I e II s√£o corretas.

    • B. 

      Somente as afirmativas I e IV s√£o corretas.

    • C. 

      Somente as afirmativas III e IV s√£o corretas.

    • D. 

      Somente as afirmativas I, II e III s√£o corretas.

    • E. 

      Somente as afirmativas II, III e IV s√£o corretas.

  • 3. 
    (Ufpr 2014)  O Papa Francisco, eleito em março de 2013, chamou atenção novamente para a figura de Francisco de Assis, considerado o fundador da Ordem dos Franciscanos (ou dos Frades Menores) na Baixa Idade Média. Assinale a alternativa que relaciona o contexto de surgimento dos Franciscanos e sua motivação de ação.  
    • A. 

      Com a retração do renascimento comercial e urbano, aumentaram a pobreza e o abandono de crianças, que eram recolhidas pelas Ordens Mendicantes, dentre elas a dos Franciscanos, para evitar que fossem recrutadas nas Cruzadas.

    • B. 

      Com o renascimento comercial e urbano, aprofundaram-se a pobreza e as desigualdades sociais, suscitando o aparecimento de v√°rias Ordens Mendicantes, que pretendiam atuar junto aos necessitados, entre elas a Ordem dos Franciscanos.

    • C. 

      O renascimento comercial e urbano gerou um empobrecimento da Igreja Católica na Baixa Idade Média, suscitando o aparecimento das Ordens Mendicantes, dentre elas a dos Franciscanos.

    • D. 

      Com o renascimento comercial e urbano, surgem as Ordens Mendicantes, dentre elas a dos Franciscanos, que constitu√≠ram uma for√ßa de contesta√ß√£o da ordem feudal e do poder econ√īmico da Igreja.

    • E. 

      Com a crescente ruraliza√ß√£o e o aumento da pobreza no espa√ßo europeu, surgiram as Ordens Mendicantes, como a dos Franciscanos, para se tornar a principal inst√Ęncia da Igreja Cat√≥lica.

  • 4. 
    (Unesp 2014)  Mais ou menos a partir do século XI, os cristãos organizaram expedições em comum contra os muçulmanos, na Palestina, para reconquistar os “lugares santos” onde Cristo tinha morrido e ressuscitado. São as cruzadas [...]. Os homens e as mulheres da Idade Média tiveram então o sentimento de pertencer a um mesmo grupo de instituições, de crenças e de hábitos: a cristandade.   (Jacques Le Goff. A Idade Média explicada aos meus filhos, 2007.)   Segundo o texto, as cruzadas 
    • A. 

      Contribuíram para a construção da unidade interna do cristianismo, o que reforçou o poder da Igreja Católica Romana e do Papa.

    • B. 

      Resultaram na conquista definitiva da Palestina pelos cristãos e na decorrente derrota e submissão dos muçulmanos.

    • C. 

      Determinaram o aumento do poder dos reis e dos imperadores, uma vez que a derrota dos cristãos debilitou o poder político do Papa.

    • D. 

      Estabeleceram o caráter monoteísta do cristianismo medieval, o que ajudou a reduzir a influência judaica e muçulmana na Palestina.

    • E. 

      Definiram a separa√ß√£o oficial entre Igreja e Estado, estipulando fun√ß√Ķes e pap√©is diferentes para os l√≠deres pol√≠ticos e religiosos.

  • 5. 
    (Pucrs 2013)  O feudalismo europeu foi resultante de uma lenta e complexa integração de estruturas sociais romanas com estruturas dos povos conhecidos como ger­manos, ocorrida entre os séculos V e IX. Uma das principais estruturas germânicas que compuseram o feudalismo foi  
    • A. 

      A vila, grande latif√ļndio que tendia √† autossufici√™ncia econ√īmica.

    • B. 

      O colonato, sistema de trabalho que vinculava o camponês à terra.

    • C. 

      O burgo, cidade fortificada onde se concentravam atividades artesanais.

    • D. 

      O comitatus, relação de fidelidade militar entre guerreiros e seu chefe.

    • E. 

      O direito codificado, reuni√£o simplificada de leis escritas.

  • 6. 
    (Unesp 2013)  “Servir” ou, como também se dizia, “auxiliar”, – “proteger”: era nestes termos tão simples que os textos mais antigos resumiam as obrigações recíprocas do fiel armado e do seu chefe.”   (Marc Bloch. A sociedade feudal, 1987.)   O mais importante dos deveres que, na sociedade feudal, o vassalo tinha em relação ao seu senhor era: 
    • A. 

      O respeito à hierarquia e à unicidade de homenagens, que determinava que cada vassalo só podia ter um senhor.

    • B. 

      O aux√≠lio na guerra, participando pessoalmente, montado e armado, nas a√ß√Ķes militares desenvolvidas pelo senhor

    • C. 

      A proteção policial das aldeias e cidades existentes nos arredores do castelo de seu senhor.

    • D. 

      Participação nos torneios e festejos locais, sem que o vassalo jamais levantasse suas armas contra seu senhor.

    • E. 

      A servid√£o, trabalhando no cultivo das terras do senhor e pagando os tributos e encargos que lhe eram devidos.

  • 7. 
    (Fgv 2013)  Guerra dos Cem Anos – Denominação dada a uma série de conflitos ocorridos entre a França e a Inglaterra no período 1337-1475. O termo, que vem sendo considerado impróprio, é uma criação moderna dos historiadores do século XIX, introduzido nos manuais escolares. (...) Alguns historiadores têm mesmo proposto que seja utilizada a expressão “cem anos de guerra” e não a tradicional.   (Antônio Carlos do Amaral Azevedo, Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos apud Luiz Koshiba, História: origens, estruturas e processos)   Sobre essa guerra, é correto afirmar que 
    • A. 

      Decorreu diretamente da chamada Crise do S√©culo XIV, pois a Inglaterra e a Fran√ßa tinham leituras divergentes da paralisia econ√īmica que atingiu a Europa ocidental desde os primeiros anos desse s√©culo.

    • B. 

      Resultou da imediata rea√ß√£o da Fran√ßa, aliada dos reinos de Castela e Arag√£o, √† alian√ßa econ√īmica e militar entre a Inglaterra e Portugal, iniciando o mais sangrento conflito b√©lico da Europa moderna.

    • C. 

      Desenrolou-se quase toda em território francês, com batalhas entremeadas por tréguas e períodos de paz, e as suas origens se ligam à sucessão do trono francês, também disputado pela Inglaterra.

    • D. 

      Derivou da disputa por territ√≥rios rec√©m-descobertos por franceses no norte da √Āfrica, mas que eram estrat√©gicos para a expans√£o da economia inglesa, j√° produtora de manufaturados.

    • E. 

      Desenvolveu-se no contexto das reformas religiosas, obrigando cada nação europeia a se posicionar na defesa ou não do papado, fator principal do conflito bélico entre franceses e ingleses.

  • 8. 
    (Fgvrj 2013)  A partir do século X, mas principalmente do XI, é o grande período de urbanização – prefiro utilizar esse termo mais do que o de renascimento urbano, já que penso que, salvo exceção, não há continuidade entre a Idade Média e a Antiguidade.   LE GOFF, Jacques. Por amor às cidades. Conversações com Jean Lebrun. São Paulo: Unesp, 1998, p. 16.   A respeito das cidades medievais, após o ano mil, é CORRETO afirmar: 
    • A. 

      Tornaram-se centros econ√īmicos e financeiros e vinculados √†s rotas mercantis e √† produ√ß√£o agr√°ria das √°reas rurais pr√≥ximas.

    • B. 

      Eram fundamentalmente sedes episcopais e centros administrativos do Sacro Imp√©rio Romano Germ√Ęnico.

    • C. 

      Tornaram-se n√ļcleos da produ√ß√£o industrial que come√ßou a desenvolver-se sobretudo no norte da It√°lia, a partir do s√©culo XI.

    • D. 

      Tornaram-se os principais entrepostos do comércio de escravos africanos desde o início das Cruzadas.

    • E. 

      Apresentaram-se como legado das póleis gregas e das cidades romanas da Antiguidade.

  • 9. 
    (Ufsm 2013)  Analise o mapa e o texto a seguir. Todos os testemunhos concordam em situar a origem da peste na Ásia Central, onde ela existia em estado endêmico. O grande viajante Ibn Batouta, que visitou a Índia Meridional pouco depois de 1342, assinalou-a ali. Em 1347, os próprios mongóis, que sitiavam o estabelecimento mercantil genovês em Caffa, no mar Negro, foram atingidos e, por um requinte de crueldade, enviaram vários cadáveres para a cidade através de suas máquinas de guerra. Um navio que partiu de Caffa para a Itália semeou, na passagem, a peste em Constantinopla [...] depois chegou a Gênova: quando se deram conta do mal que transportavam e ordenaram que partisse, era tarde demais. A peste atacava a Itália pelos portos. As cidades do interior não souberam organizar nenhuma defesa.   Fonte: WOLFF, Philippe. Outono da Idade Média ou Primavera dos Tempos Modernos? São Paulo: Martins Fontes, 1988. p. 15. (adaptado)   A análise permite associar a rápida propagação da Peste Negra, na Baixa Idade Média europeia, a fatores, como 
    • A. 

      O √™xito das navega√ß√Ķes ib√©ricas na abertura do caminho mar√≠timo para as √ćndias orientais.

    • B. 

      A retomada das peregrina√ß√Ķes a Jerusal√©m ap√≥s a vit√≥ria dos crist√£os europeus nas guerras das Cruzadas.

    • C. 

      O aumento do interc√Ęmbio comercial entre a China e os pa√≠ses europeus, interc√Ęmbio esse estimulado e protegido nos dom√≠nios do Imp√©rio Mongol.

    • D. 

      A intensifica√ß√£o das transa√ß√Ķes econ√īmicas entre o Ocidente europeu, em pleno renascimento comercial urbano, e o Oriente, atrav√©s das cidades italianas e de Constantinopla.

    • E. 

      O dinamismo comercial dos Turcos Otomanos, ao transformarem a Constantinopla bizantina na Istambul moderna.